Suzy Sukeban, a colegial do barulho, de Dave L. Araújo

Inspirado pelo movimento “heta-uma”, gênero artístico que traz traços menos rebuscados e uma estética mais “suja” nos mangás, classificado simplesmente como “ruim, mas bom”, Dave L. Araújo, ou simplesmente, “Dave nada a ver” nos leva numa jornada ao lado da colegial mais porradeira do quadrinho alternativo, Suzy Sukeban.

Esse é um dos lançamentos recentes da Escória Comix, que completa 5 anos nesse mês (junho de 2021), e tem trazido uma extensa coleção de novidades para comemorar o feito. Trata-se da estreia arrebatadora de Dave nos quadrinhos impressos, Suzy Sukeban já havia sido publicada integralmente na internet, um fato curioso é que ela havia sido concebida exclusivamente nesse meio. Dentro da Twitch (plataforma de vídeos ao vivo) Dave, juntamente com seus espectadores, criava as aventuras de Suzy.

No prefácio, escrito pelo próprio Dave, destaca as influências dos mangás e autores como Go Nagai (autor de uma das minhas obras favoritas, “Cutie Honey”), Osamu Tezuka e Shotaro Ishinomori. Apesar das influências orientais e a estética do quadrinho, trata-se de um quadrinho ocidental comum, mas que se utiliza dessa influência como reforço estético e narrativo.

Sukeban é a definição utilizada para garotas delinquentes ou líderes de gangue feminina, é um estereótipo presente em diversas obras de mangás ou cinema, inclusive no cinema ocidental como retratado em “Kill Bill” . E é notável que Dave se utiliza de todos esses elementos de maneira bem descontraída e de fácil identificação, colocando tudo isso dentro do cotidiano do brasileiro comum, com retratações de botecos sujos, campeonatos de sinuca valendo um “litrão” de cerveja e o famoso derby (do azul), cigarro consumido majoritariamente pela camada “botequeira tupiniquim”.

Além de Suzy, temos uma variedade de outros personagens tão interessantes quanto. Godzilla Jr., os “Etezudos” (alienígenas bundudos que gostam de dançar), Gnomos que reprogramam DNA e a habilidosa Ana, que consegue ser tão perigosa, ou até mais que a própria Suzy. Tudo isso embalado com uma narrativa direta e interessante, já característica do quadrinho alternativo.

O quadrinho de 132 páginas é dividido em 11 capítulos curtos que apresentam artes de fãs na abertura. A edição fica por conta de Lobo Ramirez  e além da história completa de Suzy, conta com alguns extras no final da edição. O lançamento contou com um pacote colecionador, que continha alguns extras bem interessantes, como camiseta, boné e botton. Infelizmente não é mais possível adquirir esse pacote, mas o quadrinho é encontrado em comic shops ou diretamente no site da Escória Comix.

Você pode comprar Suzy Sukeban diretamente no site da Escória, clicando aqui!

Paulo Cavagnari

Leitor de gibizinho e criador do Tosqueira. Além de falar de gibi nacional por aqui, eu falo de gibi de hominho no Vigilante Atômico, podcast dedicado aos super heróis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *